s
GESTÃO

Gestão de mudanças também é cultura e estratégia

Nunca foi tão necessário repensar toda a abordagem da empresa à mudança. Entraremos em uma época na qual a capacidade de mudar se tornará central para a estratégia corporativa.

Em uma época na qual todos estão focados na análise de dados, na Inteligência Artificial, na estratégia e na missão, concentrar-se na mudança e na cultura parece contra-intuitivo, mas é provavelmente no que todos deveriam estar concentrados. O foco da gestão na cultura e na gestão da mudança é extremamente deficiente. E essa pode ser uma das razões de muitas transformações ficarem aquém de suas metas.

Mudar é difícil. Mas é cada vez mais necessário, para acompanhar as condições do mercado, a concorrência e as preferências dos clientes, adotar novas tecnologias e formas de trabalhar. Você pode não gostar de mudanças e sua empresa pode não querer mudar, mas você não controla os fatores externos que mudam constantemente. E tudo complica a partir do momento que o ritmo da mudança aumenta, e você percebe que não pode mais “gerenciá-la”. Só pode tentar antecipá-la e direcioná-la. Em vez de evitar ou resistir à mudança, a cultura e a estratégia devem abraçar a mudança.

Portanto, nunca foi tão necessário repensar toda a abordagem da empresa à mudança. Se uma empresa está criando uma estratégia, um componente-chave dessa estratégia deve ser a identificação das mudanças necessárias e com que rapidez devem ser feitas. Tradicionalmente, a mudança tem sido pouco considerada — se é que tem sido considerada — quando a estratégia é construída. "Muito em breve, entraremos em uma época na qual a mudança e a capacidade de mudar se tornarão muito mais centrais para a estratégia corporativa, e a capacidade de executar a mudança se tornará primordial", afirma Jeffrey Phillips, autor de "Relentless Innovation: What Works, What Doesn’t". Cabe às lideranças mudar a cultura da sua organização para melhor traduzir a estratégia em comportamento e reforçar prioridades de mudança.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis para ler agora
e acesse 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

Inclusão pode ser a resposta para a crise do burnout

Liderança

Inclusão pode ser a resposta para a crise do burnout

As empresas precisam trabalhar a inclusão muito além do onboarding, criando um espaço em que as pessoas se sentem seguras para se expressar

Por que é tão difícil abraçar mudanças audaciosas?

Gestão

Por que é tão difícil abraçar mudanças audaciosas?

Porque talvez estejamos deixando de fazer as pergunta mais difíceis, diz designer, curador e empresário Seth Goldenberg.

Gestão de mudanças também é cultura e estratégia

Gestão

Gestão de mudanças também é cultura e estratégia

Nunca foi tão necessário repensar toda a abordagem da empresa à mudança. Entraremos em uma época na qual a capacidade de mudar se tornará central para a estratégia corporativa.

É hora de ouvir mais e agir rápido para não perder pessoas-chave

Gestão

É hora de ouvir mais e agir rápido para não perder pessoas-chave

Chegou a época do ano de fazer balanço e, de segurar aquelas pessoas que fazem a diferença na empresa. Já ouviu falar de "stay interviews"?

O que torna o feedback tão difícil?

Liderança

O que torna o feedback tão difícil?

A dor de descobrir lacunas profundas provoca fortes emoções e aciona gatilhos indesejados. Às vezes, a hesitação em aceitar essas lacunas vem das reservas que temos com a pessoa que as apontou

Mais princípios, menos conflitos

Gestão

Mais princípios, menos conflitos

Quando as empresas enfrentam decisões difíceis, princípios bem articulados podem ajudá-las a fazer melhores escolhas. Mais do que declarações vazias se missão e valores. E o que define os princípios?