s
STARTUPS

Falência da Katerra comprova: só investimento não basta para startups

Startup não é a primeira a receber mais de US$ 1 bilhão em aportes e falhar. Fracasso tampouco deve assustar o SoftBank

Por João Ortega 08/06/2021

A startup Katerra nasceu em 2015 para reinventar o setor da construção civil. A empresa norte-americana está situada no mercado da construção pré-fabricada e modular, avaliado globalmente em US$ 129 bilhões. A expectativa é de que, até 2026, 30% dos edifícios dos EUA sejam fabricados fora do canteiro de obra. Desde a fundação, a empresa levantou mais de US$ 2 bilhões em investimentos, a maioria de origem do grupo japonês SoftBank.

O cenário parece ser perfeito para o sucesso. No entanto, o resultado foi o oposto. Neste domingo (6), a Katerra entrou com um pedido de falência nos EUA e anunciou que vai encerrar as operações do país. Milhares de funcionários serão demitidos e dezenas de obras em andamento paralisadas.

O caso mostra como não basta ter capital disponível e estar situado em um mercado em ascensão para prosperar no ecossistema de inovação. Existe uma série de fatores que também são decisivos para o sucesso ou fracasso de uma startup para além do dinheiro.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis para ler agora
e acesse 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

Radiografia dos negócios de impacto no Brasil

Startups

Radiografia dos negócios de impacto no Brasil

O primeiro relatório "Startup de Impacto Report Brasil" do Observatório Sebrae de Startups apresenta o panorama das principais startups de impacto no Brasil.

O negócio de fechar startups

Startups

O negócio de fechar startups

Empresas especializadas em fechar startups, como a Sunset e SimpleClosure, estão recebendo investimentos de milhões de dólares mostrado o início de um novo mercado.

O sucesso está na cabeça dos fundadores

Startups

O sucesso está na cabeça dos fundadores

Um novo estudo científico sobre startups dá uma nova dimensão à frase "personalidade de sucesso"

Scale-ups para ficar de olho em 2024

Startups

Scale-ups para ficar de olho em 2024

Scale-ups são startups que chegaram à vida adulta e crescem, no mínimo 20% ao ano, sua receita recorrente. Sua habilidade de escalar os negócios merece ser estudada pelas empresas tradicionais, já que apenas uma em cada 200 startups ch...

2024, o ano dos unicorpses

Startups

2024, o ano dos unicorpses

Dez anos depois que o termo Unicórnio foi estabelecido o cenário atual está cada vez mais difícil para as startups conseguirem prosperar no mercado gerando vários “unicorpses”

Para onde correm os unicórnios?

Startups

Para onde correm os unicórnios?

Aileen Lee, sócia da Cowboy Ventures, dez anos depois de seu artigo "Welcome to the unicorn club" escreve uma nova análise sobre o futuro dessas empresas