s
STARTUPS

Falência da Katerra comprova: só investimento não basta para startups

Startup não é a primeira a receber mais de US$ 1 bilhão em aportes e falhar. Fracasso tampouco deve assustar o SoftBank

Por João Ortega 08/06/2021

A startup Katerra nasceu em 2015 para reinventar o setor da construção civil. A empresa norte-americana está situada no mercado da construção pré-fabricada e modular, avaliado globalmente em US$ 129 bilhões. A expectativa é de que, até 2026, 30% dos edifícios dos EUA sejam fabricados fora do canteiro de obra. Desde a fundação, a empresa levantou mais de US$ 2 bilhões em investimentos, a maioria de origem do grupo japonês SoftBank.

O cenário parece ser perfeito para o sucesso. No entanto, o resultado foi o oposto. Neste domingo (6), a Katerra entrou com um pedido de falência nos EUA e anunciou que vai encerrar as operações do país. Milhares de funcionários serão demitidos e dezenas de obras em andamento paralisadas.

O caso mostra como não basta ter capital disponível e estar situado em um mercado em ascensão para prosperar no ecossistema de inovação. Existe uma série de fatores que também são decisivos para o sucesso ou fracasso de uma startup para além do dinheiro.

Conteúdo exclusivo para membros da The Shift

Aproveite a promoção e assine

Plataformas Low-Code e No-Code apoiam a transformação digital

Inovação

Plataformas Low-Code e No-Code apoiam a transformação digital

Startups Low-Code e No-Code permitem que empresas lancem produtos digitais mais rápido e com menos envolvimento das equipes de TI.

Por Marina Hortélio
Investimento recorde em Climate Tech: mais capital para cuidar da Terra

Tendências

Investimento recorde em Climate Tech: mais capital para cuidar da Terr...

A guinada ESG dos investidores e urgência de criar soluções para as mudanças climáticas atraem investimentos para as Climate Techs.

Por Marina Hortélio
ESG no Venture Capital: como as startups podem se destacar

Tendências

ESG no Venture Capital: como as startups podem se destacar

A atenção do Venture Capital para questões ESG têm crescido. Portanto, os fundadores de startups devem saber como incluir o tema no DNA das empresas

Por Shrinal Sheth, World Economic Forum Geneva
Depois das finanças, é hora de disruptar o setor de telecomunicações

Inovação

Depois das finanças, é hora de disruptar o setor de telecomunicaçõ...

Com serviços digitais, as MVNOs oferecem uma melhor experiência de consumo e mais transparência. O objetivo é resolver as dores causadas pela dominação das grandes operadoras

Por Marina Hortélio
Startups ajudam empresas a priorizar saúde mental

Tendências

Startups ajudam empresas a priorizar saúde mental

Com soluções que facilitam o acesso ao atendimento psicológico e até medem o risco de desenvolvimento de uma doença mental, as startups ajudam as companhias a minimizarem seu impacto na saúde mental dos funcionários

Por Marina Hortélio
2021: o ano dos unicórnios

Inovação

2021: o ano dos unicórnios

Metade dos unicórnios "puros" brasileiros surgiram em 2021, confira a lista completa

Por Marina Hortélio