s
FINTECHS

Empréstimos peer-to-peer crescem como alternativa de crédito no Brasil

Regulado pelo Banco Central desde 2018, mercado de P2P Lending promete taxas melhores que investimentos tradicionais

Por João Ortega 20/04/2021

O mercado de crédito ainda está concentrado nos grandes bancos do Brasil. Segundo dados do Banco Central de 2019, 83,7% do volume de empréstimos no país foi concedido por apenas cinco instituições financeiras. Fintechs olham para esta concentração de mercado como uma oportunidade para conectar investidores individuais a pessoas físicas e jurídicas que precisam de crédito.

Empréstimos peer-to-peer (P2P Lending) prometem, ao mesmo tempo, uma alta rentabilidade ao investidor e taxas vantajosas para o tomador em relação ao mercado tradicional. Isto porque o spread bancário no Brasil está entre os mais altos do mundo e os bons produtos de crédito estão disponíveis apenas para as grandes empresas.

O mercado global de P2P Lending é avaliado em US$ 120 bilhões, estimado para atingir US$ 1,4 trilhão em 2027. O crescimento é alavancado pelo setor de PMEs, que representam a maior parcela dos tomadores de empréstimos peer-to-peer.

Conteúdo exclusivo para membros da The Shift

Aproveite a promoção e assine

2021 será o ano do dinheiro digital no Brasil

Tendências

2021 será o ano do dinheiro digital no Brasil

A chegada do PIX e novos hábitos adquiridos durante a pandemia de Covid-19 tendem impulsionar ainda mais a substituição do papel moeda

Por Cristina De Luca
Fintechs de crédito alavancam PMEs e startups na pandemia

Fintechs

Fintechs de crédito alavancam PMEs e startups na pandemia

Alternativa a grandes bancos, negócios digitais criam produtos voltados a demandas específicas dos empreendedores

Por João Ortega
Fintechs têm nos desbancarizados uma oportunidade de R$ 800 bilhões

Fintechs

Fintechs têm nos desbancarizados uma oportunidade de R$ 800 bilhões

Entre os que não estão no sistema financeiro, 60% têm celular e acesso à internet, o que facilita o crescimento das plataformas digitais

Por João Ortega