s
Este é um quadro retirado de vídeo falso que apresenta os riscos do deepfake.

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

Deepfake: uma batalha de IA contra a desinformação nas redes

Enquanto as técnicas para criar vídeos falsos melhoram, pesquisadores se empenham para criar detectores de deepfakes com Inteligência Artificial

Por John Sohrawardi e Matthew Wright, The Conversation 21/10/2020

Um jornalista investigativo recebe um vídeo de uma fonte anônima. O material apresenta um candidato à presidência admitindo ter cometido um crime. Será que este vídeo é real?

A denúncia tem potencial de mudar o curso das eleições. No entanto, o jornalista passa o conteúdo por uma ferramenta especializada em detectar conteúdos falsos, como esta que está sendo desenvolvida na Universidade de Stanford. No fim das contas, o material se trata de um deepfake: vídeo criado com deep learning, uma técnica avançada em inteligência artificial. 

Em alguns anos, jornalistas em todo o mundo precisarão usar ferramentas como essa. Inclusive, será possível varrer as redes sociais com sistemas que busquem identificar a presença de deepfakes espalhando desinformação. 

Conteúdo exclusivo para membros da The Shift

Aproveite a Cyber Week e assine

A IA que transforma a educação

Entrevista

A IA que transforma a educação

Adriano Mussa, diretor de IA da Saint Paul Escola de Negócios, é apaixonado por Inteligência Artificial, especialmente quando ajuda a transformar a vida das pessoas pela educação

Por Silvia Bassi
Computação Neuromórfica, IA Emocional e o futuro

Inteligência Artificial

Computação Neuromórfica, IA Emocional e o futuro

A expectativa da indústria é a de que a Computação Neuromórfica ande mais rápido que a Computação Quântica em relação à disponibilidade de produtos de baixo custo

Por Redação The Shift
IA pode ajudar a resolver problemas de privacidade

Inteligência Artificial

IA pode ajudar a resolver problemas de privacidade

As técnicas para detectar ataques de hackers dependem de padrões. Esse é o tipo de coisa em que a IA se destaca: estudar informações para reconhecer padrões em novos dados

Por Zhiyuan Chen e Aryya Gangopadhyay, The Conversation