s
TRANSFORMAÇÃO DIGITAL SEM TRAVAS

Como explicar a relevância e o papel da arquitetura de sistemas para o negócio?

O imediatismo pode estragar até dois anos de trabalho de construção de uma arquitetura eficaz — e eventualmente colocar tudo a perder

Por Sergio Lozinsky 24/03/2023

Para conversar sobre arquitetura de sistemas, a liderança da empresa deve responder a uma pergunta: qual é o principal objetivo da TI? Ou, para que serve a TI?  A maioria das respostas costuma ser genérica, e pode ser resumida em frases como: “TI é estratégico”, “garantir que as operações funcionem”. Isso é verdade, claro, mas a definição mais completa é construir, dar suporte e fazer evoluir uma arquitetura de sistema que não somente proporcionará um alto grau de automação dos processos de negócios (menor custo, maior eficiência) mas também suportará as ações estratégicas do negócio (sejam elas relacionadas a aquisições de empresas, ampliação do portfólio de produto, ampliação da cobertura geográfica, internacionalização, etc).

Toda empresa tem uma cadeia de valor, entendida como o conjunto de macroprocessos por meio dos quais a operação ocorre. Os principais processos são os que refletem o “core business”, outros desses macroprocessos são de apoio ao negócio (o backoffice), outros são mais estratégicos, como a inteligência de mercado e o relacionamento com stakeholders, por exemplo. A arquitetura é o conjunto de sistemas e suas integrações que automatizam essa cadeia de valor e esses processos. Com isso, permite que a empresa foque nas análises, na interpretação dos dados de inteligência e nas tomadas de decisão, em lugar de gastar tanta energia simplesmente para garantir que “as coisas andem”. O chamado “apagar incêndios”.

Ou seja, os sistemas são construídos para conferir velocidade, escala, inteligência e automação à empresa, assegurando que o quadro de pessoas será o mais otimizado possível, focado em competitividade, aumento das margens e atração de novos talentos. A arquitetura de sistemas, ainda em outras palavras, traduz o conceito de automação do negócio.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis para ler agora
e acesse 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

Como a tecnologia deve pautar as decisões de M&A em 2024?

Transformação Digital sem Travas

Como a tecnologia deve pautar as decisões de M&A em 2024?

O mercado de fusões e aquisições dá sinais de aquecimento - e, com ele, a TI se estabelece como pilar crítico da etapa de due diligence

A agenda da agenda do CEO em 2024

Transformação Digital sem Travas

A agenda da agenda do CEO em 2024

Relatórios apontam urgência na adoção da IA como prioridade para o principal líder da organização. Mas, no plano no qual os desafios de negócio acontecem, quais são as reais prioridades?

Pontos cegos da gestão orçamentária da TI

Transformação Digital sem Travas

Pontos cegos da gestão orçamentária da TI

Definir e gerenciar orçamentos de tecnologia da informação envolve grandes (e nem sempre óbvios) desafios. Como tornar a gestão orçamentária um componente do posicionamento estratégico da TI?

E se os tempos de retração ameaçarem a transformação da TI e dos negócios?

Transformação Digital sem Travas

E se os tempos de retração ameaçarem a transformação da TI e dos...

Em momentos desafiadores, pode ser necessário reduzir custos e adiar projetos. Mas até quando deve-se segurar os investimentos diante de incertezas que, talvez, continuem por aí?

As urgências consomem. Como planejar o futuro?

Transformação Digital sem Travas

As urgências consomem. Como planejar o futuro?

O envolvimento direto com problemas operacionais é um impasse comum na rotina de CIOs e líderes de diversas áreas. Então, é possível mudar essa realidade?

E o ChatGPT, a que veio?

Transformação Digital sem Travas

E o ChatGPT, a que veio?

Com uma ascensão meteórica, o ChatGPT entrou na pauta das discussões de tecnologia e negócios, mas as empresas precisam empreender uma boa investigação antes de aderir ao hype