s

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

Brasil se destaca em adoção de Inteligência Artificial

Pesquisa da IBM revela que a taxa de adoção acelerou no país em 2020, enquanto o mundo pisou no freio, por diversos motivos. A expectativa é de retomada em 2021

Por Cristina De Luca 12/05/2021

Investimentos na adoção da IA desaceleraram no mundo em 2020, segundo pesquisa recente da O’Reilly Media. Agora, um novo estudo, da IBM, adiciona alguns detalhes a essa tendência. Com uma surpresa: a boa performance das empresas brasileiras entre as 5,5 mil analisadas, em 15 países.

No geral, apenas 31% dessas 5 mil empresas disseram ter “implantado IA ativamente como parte de suas operações de negócios” no ano passado. Índice semelhante ao de 2019. Mas no Brasil a adoção cresceu, atingindo 40%, fazendo o índice de adoção ficar acima do da média global. A título de curiosidade, essa mesma média na América Latina foi de 21%.

Experiência e conhecimentos limitados em IA continuam a ser o principal obstáculo para a adoção de IA, seguido pela complexidade da gestão de dados e a escassez de bons talentos de IA.

Receba grátis nossa newsletter

Quase todas as empresas reconhecem que a IA vai melhorar a experiência do cliente e a automação de processos. Mas a pandemia fez com que muitas pisassem no freio. Nas palavras de Arvind Krishna Friday, CEO da IBM, a primeira coisa em que investiram em 2020 foi resiliência. Depois, em espremer dez anos de transformação digital em meses. Mas agora que isso foi feito, a IA parece ser a segunda onda de investimentos.

No Brasil, o cenário foi um pouco diferente, segundo Marcela Vairo, Diretora de Vendas de Dados, AI, Automação e AI Apps. O ritmo de adoção aumentou: 37% das empresas brasileiras afirmaram que, devido à pandemia, intensificaram o foco no atendimento ao cliente, seguido por automação de processos (35%) e segurança (28%).

“Aqui na IBM, por exemplo, vimos o uso do Watson mais que dobrar”, diz a executiva. Principalmente por conta da demanda de grande clientes dos setores bancários e de varejo, que já faziam uso operacional da IA.

Segundo ela, os resultados do estudo demonstram que diferentes setores da economia identificaram claramente vantagens competitivas do uso de IA. O que fará com que, também aqui, o ritmo de adoção continue em uma curva ascendente, bem alta. Principalmente no backoffice, na automação de processos e melhor gestão de dados.

“Quem já estava usando, está usando cada vez mais. Para o mesmo uso e para usos diferentes, em outros canais. Para dar uma ordem de grandeza, imagine que aquele canal do e-commerce que usava IA dobrou, triplicou, e as empresas estão começando a aplicar IA em outros canais”, diz ela. “E a gente está ainda no começo da onda”, afirma.

De fato, seis em dez (68%) profissionais de TI brasileiros relatam que sua empresa está usando software ou ferramentas de automação, e 18% relatam que sua empresa planeja adotar o uso de software ou ferramentas de automação nos próximos 12 meses. Além disso, dois terços (66%) dos profissionais de TI brasileiros, de empresas que exploram e implantam IA, afirmam que a grande eficiência em processos e tarefas é o motivo de estarem usando ou considerando a automação, e reconhecem que devolver um tempo valioso aos funcionários é um grande motivador nas empresas que estão implantando AI.

Outro dado surpreendente de Brasil foi o fato de mais de nove em cada dez profissionais de TI  (94%) considerarem importante para seus negócios ser capaz de explicar como a IA chegou à determinada decisão.

“A gente fala muito em ética, na importância de reduzir o viés, mas eu não esperava que o índice fossse tão alto aqui. Praticamente todo mundo que entender o por que dos modelos”, diz ela.

A falta de habilidades / treinamento para desenvolver e gerenciar IA confiável e explicável é a principal barreira para profissionais de TI no Brasil (79%) .

Os profissionais de TI daqui (68 %), da Colômbia (65 %) e do Peru (65 %) também tendem a concordar fortemente que os consumidores são mais propensos a escolher os serviços de uma empresa que oferece transparência e uma estrutura ética sobre como seus dados e modelos de IA são construídos, gerenciados e usados.

Entre os destaques do “Global AI Adoption Index 2021” da IBM estão também:

Mas investimentos significativos em IA estão planejados: 30% dos profissionais de TI brasileiros relatam que sua empresa está na fase de implantação da IA em toda a organização, enquanto os profissionais de TI em todos os outros países latino-americanos estão mais propensos a estar na fase exploratória. A adoção está sendo impulsionada por múltiplas pressões e oportunidades que as empresas enfrentam, desde a pandemia da COVID-19 até os avanços na tecnologia que a tornam mais acessível. Quase metade dos profissionais de TI no Brasil (49%) relatam que suas organizações planejam investir em aplicativos de IA prontos para uso nos próximos 12 meses.

A capacidade de acessar dados em qualquer lugar é fundamental para aumentar a adoção de IA: a proliferação de dados em toda a organização resultou em mais da metade dos profissionais de TI da América Latina utilizando mais de 20 fontes de dados diferentes para informar sua IA. Três em cada quatro (74%) dos profissionais de TI no Brasil acham que é muito importante que sua empresa possa construir e executar projetos de IA onde quer que seus dados residam.

O processamento de linguagem natural está na vanguarda da adoção recente: os profissionais de TI no Brasil são mais propensos a usar aplicativos de processamento de linguagem natural (PLN): 46 % deles estão atualmente usando aplicativos de PLN. No Brasil, os agentes virtuais para atendimento ao cliente são os casos de uso mais comuns de tecnologias de processamento de linguagem natural (42%), seguido de automação de call center e análise de pesquisas.

Nesse sentido, uma das próximas ondas, segundo Marcela Vairo, é levar o processamento de linguagem natural em português também para a voz.  Será que vamos finalmente ver a Magalu e a Bia falando?

“Não posso revelar nomes aqui, mas voz é uma tendência muito forte. Uma das formas de crescer indo além do uso que já se faz hoje, em diferentes canais, em diferentes serviços. Um das coisas que a gente fez na IBM foi fechar uma parceria para ter um laboratório e investir nas customizações do Watson com essa finalidade”, diz ela. “Interagir com a IA vai ficar cada vez mais natural, mis humanizado”.

Embora a adoção esteja crescendo, também as empresas brasileiras ainda enfrentam uma série de desafios quando se trata de adotar a IA. As três principais barreiras para a adoção de IA no país são: O aumento da complexidade e dos silos de dados (25%), experiência ou conhecimento limitado de IA (24%) e dependência de fornecedor, ou seja, IA e nuvem vinculadas a um único fornecedor (21%).

Cenário global

Metade dos profissionais de TI globais relatam que, em comparação com 2 a 3 anos atrás, as soluções de IA agora são mais bem projetadas para atender às necessidades das empresas e quase metade afirma que as soluções de IA agora são mais acessíveis e fáceis para implantar.
Os três principais fatores que uma empresa considera ao avaliar os provedores de IA são:
1. Automatiza processos para capacitar trabalhos de maior valor (47%)
2. Fornece confiança nos resultados de negócios (40%)
3. Capacidade de implantar em qualquer lugar – em qualquer nuvem pública, nuvem privada ou on primise (40%)
Onde estão as empresas em suas jornadas de IA?
• Minha empresa está analisando dados para construir e escalar IA, mas tem não lançou nenhum projeto de IA (34%);
• Minha empresa está usando aplicativos de IA pré-construídos, como como chatbots (31%);
• Minha empresa está desenvolvendo provas de conceito para IA específic projetos baseados ou assistidos por IA (27%);
• Minha empresa está explorando soluções de IA, mas não temos comprou quaisquer ferramentas ou aplicativos (24%);
• Minha empresa está implantando IA em toda a empresa (21% ).
Mais de uma em cada três empresas cita dificuldades nas etapas ao longo da jornada da organização para a IA:
• Análise de dados para construir e dimensionar IA confiável (39%)
• Infundindo IA em toda a empresa (37%)
• Organização de dados para criar uma base analítica pronta para negócios (37%)
• Coletar dados para torná-los simples e acessíveis (37%)
Um terço dos profissionais de TI globais relata os planos de sua empresa para investem no:
• Incorporação de IA em aplicativos e processos de IA atuais (34%)
• Requalificação e desenvolvimento da força de trabalho (34%)
• Aplicativos de IA prontos para uso (34%)
• Soluções de IA proprietárias (33%)
• Ferramentas de prateleira para construir seus próprios aplicativos e modelos (33%)

2021 será um ano para a Inteligência Artificial brilhar nos negócios

Inteligência Artificial

2021 será um ano para a Inteligência Artificial brilhar nos negócio...

Organizações começam de fato a usar a IA como uma ferramenta estratégica de negócios para gerar valor, e planejam investir ainda mais em 2021

Por Cristina De Luca
Desafio de tornar a Inteligência Artificial confiável é imperativo para os negócios

Inteligência Artificial

Desafio de tornar a Inteligência Artificial confiável é imperativo...

As pessoas não estão dispostas a aceitar tecnologias a menos que possam exercer mais controle sobre seus resultados

Por Cristina De Luca
Para vencer com Inteligência Artificial mude a cultura

Inteligência Artificial

Para vencer com Inteligência Artificial mude a cultura

As empresas que usam bem a IA e já capturam algum valor, têm uma pegada diferente: têm uma cultura data-driven e se enxergam, verdadeiramente, habilitadas por IA

Por Cristina De Luca
Foque na correção dos modelos de dados que a pandemia quebrou

Inteligência Artificial

Foque na correção dos modelos de dados que a pandemia quebrou

Em alguns casos será preciso refazer alguns algorítmicos baseados no princípio de que padrões e comportamentos do passado se repetem no futuro. Em outros, recalibrar a série histórica

Por Cristina De Luca
Sua empresa precisa de um diretor de Inteligência Artificial?

Inteligência Artificial

Sua empresa precisa de um diretor de Inteligência Artificial?

A função de CAIO começa a ganhar relevância, assim como aconteceu com as dos CDOs, CAOs e CDAOs. Mas há realmente a necessidade dessas funções no alto escalão executivo?

Por Cristina De Luca
Sua empresa sabe falar a linguagem dos dados?

Transformação Digital

Sua empresa sabe falar a linguagem dos dados?

As empresas precisam investir em alfabetização de dados e exercitar suas habilidades a partir da análise que fazem dos dados

Por Cristina De Luca