s
STARTUPS

Após veto, investimento-anjo perde incentivo previsto no Marco Legal

“Por que tecnologia e inovação não são prioridades no país?”, questiona Rodrigo Afonso, representante do ecossistema de startups

Por João Ortega 07/06/2021

O Marco Legal de Startups foi sancionado no início deste mês de junho pela Presidência da República. O documento, elaborado após anos de discussões entre representantes do ecossistema e legisladores, apresenta uma série de novidades jurídicas que surgem da definição do que é uma startup, como mecanismos de investimentos e de contratações de produtos ou serviços pelo poder público.

Embora o Marco Legal proporcione às startups alguns benefícios importantes para o crescimento da inovação no Brasil, a avaliação de certos grupos é de que o documento foi podado nas discussões com o legislativo e avançou bem menos do que poderia em diversas questões. E existe, principalmente, a opinião de que o veto ao Artigo 7º pelo poder executivo é uma trava ao investimento no ecossistema.

O Artigo 7º trata da tributação ao investimento-anjo. Este tipo de aporte é tributado de forma padronizada, como um investimento em renda fixa, por exemplo. Nas primeiras conversas do Marco Legal, a ideia era equiparar o investimento-anjo ao crédito imobiliário (LCI) e do agronegócio (LCA), que são isentos de impostos. O debate sobre o tema evoluiu para um formato mais parecido com o do mercado de ações, em que o investidor compensa suas perdas com seus ganhos futuros, sendo tributado apenas por esta diferença, que é o ganho real sobre os ativos.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis e tenha acesso a 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

Após regulamentação, startups inovam na telemedicina veterinária

Tendências

Após regulamentação, startups inovam na telemedicina veterinária

O atendimento remoto já era praticado, mas regulamentação deve fazer o modelo evoluir. Novas oportunidades de negócio foram criadas.

Simple2u: como a MAG enfrenta a transformação dos seguros

Entrevista

Simple2u: como a MAG enfrenta a transformação dos seguros

Em entrevista exclusiva à THE SHIFT, Leonardo Lourenço, Head Geral da Simple2u, conta como a insurtech criada dentro do sandbox regulatório da Susep, repensa o segmento.

A economia espacial vai crescer e gerar mais inovação na Terra

Inovação

A economia espacial vai crescer e gerar mais inovação na Terra

O ex-CTO da NASA e CEO da Space Tech Astra, Chris Kemp, acredita que é necessário criar uma economia espacial aberta, na qual colaborações inventivas a tornem livre e competitiva.

Por Linda Lacina | Fórum Econômico Mundial
Energia perdida no ar para a Indústria 4.0

Internet das Coisas

Energia perdida no ar para a Indústria 4.0

Deep tech brasileira criou um método para reciclar ondas eletromagnéticas dispersas no ar como fonte de energia para dispositivos IoT. A solução se encaixa na crescente digitalização da Economia.

Venture Debt ganha tração no Brasil

Startups

Venture Debt ganha tração no Brasil

As vantagens? Capitalizar e alavancar o crescimento das empresas sem diluição societária e com ganhos maiores para os investidores credores, com direito a bônus se a startup for bem-sucedida

Correção no mercado latino: investimentos caem, mas otimismo se mantém

Tendências

Correção no mercado latino: investimentos caem, mas otimismo se mant...

Segundo estudo da LAVCA, 2022 já é o segundo melhor ano para os investimentos de Venture Capital na América Latina.