s

STARTUPS

Após veto, investimento-anjo perde incentivo previsto no Marco Legal

“Por que tecnologia e inovação não são prioridades no país?”, questiona Rodrigo Afonso, representante do ecossistema de startups

Por João Ortega 07/06/2021

O Marco Legal de Startups foi sancionado no início deste mês de junho pela Presidência da República. O documento, elaborado após anos de discussões entre representantes do ecossistema e legisladores, apresenta uma série de novidades jurídicas que surgem da definição do que é uma startup, como mecanismos de investimentos e de contratações de produtos ou serviços pelo poder público.

Embora o Marco Legal proporcione às startups alguns benefícios importantes para o crescimento da inovação no Brasil, a avaliação de certos grupos é de que o documento foi podado nas discussões com o legislativo e avançou bem menos do que poderia em diversas questões. E existe, principalmente, a opinião de que o veto ao Artigo 7º pelo poder executivo é uma trava ao investimento no ecossistema.

O Artigo 7º trata da tributação ao investimento-anjo. Este tipo de aporte é tributado de forma padronizada, como um investimento em renda fixa, por exemplo. Nas primeiras conversas do Marco Legal, a ideia era equiparar o investimento-anjo ao crédito imobiliário (LCI) e do agronegócio (LCA), que são isentos de impostos. O debate sobre o tema evoluiu para um formato mais parecido com o do mercado de ações, em que o investidor compensa suas perdas com seus ganhos futuros, sendo tributado apenas por esta diferença, que é o ganho real sobre os ativos.

Conteúdo exclusivo para membros da The Shift

Aproveite a promoção e assine

Agricultura urbana é central no desenvolvimento pessoal e das cidades

Startups

Agricultura urbana é central no desenvolvimento pessoal e das cidades

Startups com soluções agro para o contexto urbano crescem no Brasil e trazem benefícios sociais, ambientais e para a saúde mental

Por João Ortega
Falência da Katerra comprova: só investimento não basta para startups

Startups

Falência da Katerra comprova: só investimento não basta para startu...

Startup não é a primeira a receber mais de US$ 1 bilhão em aportes e falhar. Fracasso tampouco deve assustar o SoftBank

Por João Ortega
Após veto, investimento-anjo perde incentivo previsto no Marco Legal

Startups

Após veto, investimento-anjo perde incentivo previsto no Marco Legal

“Por que tecnologia e inovação não são prioridades no país?”, questiona Rodrigo Afonso, representante do ecossistema de startups

Por João Ortega
Marco Legal das Startups traz avanços para o ambiente de negócios

Startups

Marco Legal das Startups traz avanços para o ambiente de negócios

No geral, o texto final traz um regime jurídico mais simplificado e flexível para as Startups, diminuindo burocracias e ampliando o poder de decisão dos empreendedores, investidores e Poder Público

Por Gabriel Lima Lins e Rodrigo Guimarães Colares*
Novos fundos de Venture Capital diversificam opções para startups

Startups

Novos fundos de Venture Capital diversificam opções para startups

Com mais exits e empreendedores experientes no mercado, investimento em empresas de tecnologia ganha adeptos, como Marco Stefanini

Por João Ortega
Agtechs: tecnologia de controle tem mais apoio do ecossistema

Inovação

Agtechs: tecnologia de controle tem mais apoio do ecossistema

Com 1.574 agtechs ativas no país, o Radar Agtech Brasil 2020/2021 aponta o fortalecimento do ecossistema de empreendedorismo no agronegócio

Por Marina Hortélio