s
Crédito: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

FINTECHS

Brasileiro mantém tabus na relação com as próprias finanças

Pesquisa aponta que 46% dos entrevistados prefere não olhar a própria conta com medo do resultado

Por Redação The Shift 16/11/2020

O Brasil está amadurecendo na questão da educação financeira. Nas escolas, iniciativas com aulas e debates sobre o tema cresceram 72% nos últimos cinco anos. Quatro entre dez brasileiros que não investem estão buscando se informar sobre o tema. E as fintechs estão apostando e conteúdo financeiro para trazer o consumidor desbancarizado para dentro das carteiras digitais. 

Ainda assim, o tabu sobre dinheiro ainda é real no país. É o que constata um estudo realizado pelo Itaú em parceria com o Datafolha e a consultoria Box1824. A pesquisa revela que 46% dos brasileiros preferem nem olhar para a própria conta porque acreditam estar fazendo algo errado em termos financeiros.

Além da esfera privada, o tabu é ainda mais forte. A cada dez entrevistados, seis nunca falam o quanto ganham. Grande parte dos brasileiros ainda tem medo de ganhar dinheiro e “se corromper”, por conta de casos semelhantes que conhecem em seus círculos sociais. 

Conteúdo exclusivo para membros da The Shift

Aproveite a Cyber Week e assine

Finanças: vem aí a nova era Open X

Economia

Finanças: vem aí a nova era Open X

Os bancos baseados em plataforma podem alcançar o dobro de lucros operacionais, maior valor de mercado e crescimento mais estável em comparação com as instituições financeiras tradicionais

Por Redação The Shift
Fintechs lideram o cadastramento de chaves PIX

The Shift

Fintechs lideram o cadastramento de chaves PIX

Nubank, Mercado Pago e PagSeguro foram as instituições que mais registros fizeram, entre as 33,7 milhões de chaves contabilizadas pelo BC até esta quarta-feira

Por Redação The Shift
É possível ter lucro fazendo o bem para a sociedade

Tendências

É possível ter lucro fazendo o bem para a sociedade

Quando as pessoas focam em iniciativas para tornar o mundo um lugar melhor, existe uma expectativa, falaciosa, de que a monetização não deve estar no topo da lista de prioridades

Por Redação The Shift