s
Keanu Reeves como o personagem John Wick: cenas violentas em que vale todo tipo de arma Crédito: Divulgação

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

IA classifica filmes com cenas de violência e sexo

Pesquisadores treinaram um algoritmo para classificar as palavras e frases de um roteiro em três categorias: violência, uso de drogas e conteúdo sexual

Por Redação The Shift 08/12/2020

Fazer um filme de ponta a ponta é um processo que hoje agrega muita tecnologia, mas tem uma parte central baseada no talento e conhecimento humano. Quando o filme fica pronto, o processo humano continua: afinal, alguém precisa assistir ao filme para fazer a classificação.

Tem muitas cenas de violência? Algum personagem aparece usando drogas? Cenas de sexo? E quantos palavrões?

Pela primeira vez, esse trabalho de classificação está sendo feito por uma Inteligência Artificial (IA). Os pesquisadores da Escola de Engenharia Viterbi da University of Southern California criaram uma ferramenta de IA que é capaz de classificar um filme em questão de segundos.

Conteúdo exclusivo para membros da The Shift

Aproveite a promoção e assine

2021 será um ano para a Inteligência Artificial brilhar nos negócios

Inteligência Artificial

2021 será um ano para a Inteligência Artificial brilhar nos negócio...

Organizações começam de fato a usar a IA como uma ferramenta estratégica de negócios para gerar valor, e planejam investir ainda mais em 2021

Por Cristina De Luca
A capacidade de um programa de criar artigos impressiona cientistas

Inteligência Artificial

A capacidade de um programa de criar artigos impressiona cientistas

A escrita do GPT-3 parece ter sido criada por um humano. Esse programa de geração de linguagem também é capaz de escrever códigos limpos e suas habilidades poderiam ser usadas em várias áreas

Por Prasenjit Mitra, The Conversation
A subespecificação está arruinando o desempenho dos modelos de Machine Learning

Inteligência Artificial

A subespecificação está arruinando o desempenho dos modelos de Mach...

O processo usado hoje para construir a maioria deles não pode dizer se funcionarão adequadamente no mundo real - e isso é um problema

Por Cristina De Luca